Você que trabalha com marketing e vendas provavelmente já passou (ou está passando) por uma das situações abaixo:

  • acabou de investir em um novo site, por alguma razão que achou válida ou;
  • resolveu prestar atenção no site da empresa, que é uma ferramenta poderosa que você nunca aproveitou.

Em qualquer um dos casos, estou certo que você também parou e pensou na forma natural das pessoas encontrarem o seu site, que seria, claro, o Google.

Só que aí você lembra que ninguém, nenhum cliente, nunca te falou que achou sua companhia pelo Google. E fazendo um teste rápido de pesquisa, você também não consegue encontrar o seu site.

Conclusão: seu site não aparece no Google. O que fazer?

Seu site não aparece no Google?

Seu site não aparece no Google?

Eu entendo porque você nunca se preocupou tanto com essa questão de aparecer no Google.

Estamos falando de algoritmo, programação, código. Coisa que não é a sua alçada. Você é um cara de vendas, de marketing. Precisa cuidar do seu produto. Não tem tempo para entender como uma ferramenta de busca funciona.

Mas fique tranquilo, não seremos técnicos. E esteja certo que é esse também o objetivo do Google. Ele quer ajudar quem faz uma pesquisa. Independente de todo o viés tecnológico.

Dito isso, o primeiro ponto que precisa ficar claro é que o Google têm ciência da situação do mercado. Ele sabe que poucas empresas e pessoas estão adequando seus sites para aparecerem nas buscas.

Isso, claro, complica a vida do buscador. Mas ele precisa se virar, porque a missão dele é encontrar, catalogar e entregar informação (ou seja, entregar os sites). E não interessa se os sites estão mal-feitos ou são difíceis do robô ler.

Claro, se você tem um bom site, sua empresa sai na frente. Mas se o seu site é mediano, tem um conteúdo razoável e nunca foi pensado para estar posicionado bem na busca, o Google mesmo assim ter acha.

Esse é a questão que você precisa entender. Se o seu site já existe há algum tempo, é muito pouco provável que ele não apareça no Google.

Por pior que você ache que o seu site é, pode confiar que o robô do buscador deu um jeito e colocou sua empresa nos resultados de busca. Pode não estar em resultados visíveis, como a primeira página, mas ele já pode ser encontrado.

Confirmando a indexação

Sejamos cautelosos. Para toda regra existe uma exceção.

Existem sim, cenários onde o seu site pode não ter sido indexado pelo Google. Não é comum, mas acontece.

Para garantir que seu site está no diretório do Google, então, faça o seguinte teste:

  • digite “site:https://nomedoseusite.com.br” na busca do Google, como no exemplo abaixo:

Teste de indexação do site

Se o seu site estiver indexado, você verá um resultado como o acima, onde o Google irá listar todas as páginas do seu canal que estão adequadamente catalogadas no buscador.

Agora façamos um outro teste, com um endereço fictício. Veja o resultado:

Teste de indexação - site inexistente

Nesse caso, como o site “flammocomunicacao.com.br” não existe, o Google mostra que nenhuma página dele está no diretório de busca.

Se o seu site trouxe o primeiro resultado, ótimo! Mas muita calma, que isso ainda não quer dizer que seus problemas acabaram.

Agora se o seu site trouxe o segundo resultado, e não aparece na busca, continue lendo para entender mais sobre qual pode ser o problema.

Seu site está indexado! (será?)

Então você fez o teste acima e o Google listou alguns resultados.

Mas agora convido você a observar um outro ponto.

Imagino que você deva conhecer relativamente um pouco do seu site. Então faça uma estimativa de cabeça de quantas páginas ele tem.

Já fez? Certo. Agora volte à tela do resultado do teste que fizemos mais acima, e olhe logo abaixo do campo de busca a informação “Aproximadamente XX resultados”.

Os “resultados” que o Google está te informando estão próximos da sua estimativa? Se sim, ótimo! Se não, é possível que o seu site esteja no diretório, mas algumas páginas estejam faltando.

Ou seja, na prática, seu site não está aparecendo no Google.

Sua empresa pode ter conteúdos importantes (como páginas de orçamento, de produtos, dentre outras) disponíveis no site, mas que não estão sendo disponibilizadas no Google.

Então é necessário entender porque isso está acontecendo e o que você precisa fazer a respeito.

Seu site NÃO está indexado

Esse é um dos dois cenários que descrevemos mais acima:

  • seu site não tem nenhuma página indexada no Google ou;
  • parecem estar faltando páginas do site no diretório do Google

Se o seu canal não tem nenhum desses problemas, você pode pular os próximos 3 tópicos e entender porque só estar indexado não é o suficiente.

Caso contrário, vamos falar mais um pouco das razões que podem estar impedindo o seu site de indexar.

De forma bem simples, os 3 cenários mais comuns que tiram o canal da sua empresa do diretório do Google são os seguintes:

  1. Seu site é novo;
  2. Seu site está bloqueado;
  3. Seu site sofreu uma punição do Google.

Vamos falar um pouco de cada um dos 3 cenários.

1. Seu site (e seu domínio) são novos

1. Seu site (e seu domínio) são novos

Como falamos no início do texto, o robô do Google é bastante competente em encontrar, catalogar e distribuir informação.

Isso quer dizer que se você fez o seu novo site de forma relativamente profissional, com um conteúdo bom e performance razoável (boa velocidade, bom funcionamento no celular), ele vai ser indexado. É só questão de esperar no máximo algumas semanas.

Esse cenário ainda é mais comum se não só o seu site é novo, mas também o endereço dele (www.nomededominio.com.br).

Sim, pode ser que você encontre por aí formas de “acelerar” a indexação, mas vale mais a pena garantir que o seu site e seu conteúdo sejam bons.

Feito isso, pode ficar tranquilo que o seu site irá aparecer na busca em pouco tempo.

2. Seu site está bloqueado

2. Seu site está bloqueado

Apesar de enfatizarmos a capacidade do Google estruturar a informação, o buscador naturalmente quer que os responsáveis pelos sites ajudem o robô a entender mais sobre o conteúdo.

Para que isso aconteça, existem algumas práticas que os desenvolvedores podem adotar para informar ao Google quais partes do site devem aparecer ou não na busca.

Isso é muito comum em dois contextos: conteúdo que não deve ser rastreado (não é relevante para a busca) e conteúdo que não deve ser indexado (é restrito ou confidencial).

Conteúdo que não deve ser rastreado

Digamos que você montou um material da empresa para mostrar aos colaboradores. E achou mais fácil colocar em uma página do site, para facilitar a distribuição.

Este conteúdo em particular não é necessariamente confidencial, mas ele não tem relevância para uma pessoa de fora da empresa.

Só que, se você colocar ele no site, o robô do Google vai encontrar esse material e vai disponibilizá-lo na busca.

A princípio, isso não é problema, só que, na prática, você está pedindo para o buscador gastar tempo rastreando uma página inútil, quando ele poderia estar fazendo o mesmo com outra página que é realmente importante para o seu público.

Para evitar que isso aconteça, o desenvolvedor precisa informar ao Google que essa e outras páginas não devem ser rastreadas. Ele pode fazer isso editando o arquivo robots.txt.

Conteúdo que não deve ser indexado

Esse caso acontece quando o seu site tem uma área restrita, por exemplo. O conteúdo dessa seção não deve ser exibido na busca, já que ele é restrito a alguns usuários somente.

Aqui o desenvolvedor também precisa informar ao Google para não indexar esse material. Para isso, ele deve inserir um código na página em questão, indicando ao robô que ela não deve ser indexada.

A diferença, nesse caso, é que conteúdos não indexados não irão aparecer no Google. Já os conteúdos não rastreados poderão aparecer, mas o robô não irá rastreá-los para atualizar sua exibição.

Erros de rastreamento e indexação

O que esses dois recursos têm a ver com o site estar bloqueado?

O que acontece é que muitas vezes o desenvolvedor do site pode ter aplicado as duas práticas de forma incorreta, informando ao Google que não deve indexar e/ou rastrear o site.

Para identificar se isso está acontecendo com você, faça os testes abaixo.

Verificando comandos de bloqueio de rastreamento:

  • digite o endereço do seu site e depois adicione o comando robots.txt (ex: flammo.com.br/robots.txt);
  • se o endereço não retornar nada, não existem bloqueios de rastreamento;
  • se o endereço abrir um arquivo de texto, busque pelo comando “disallow” nesse arquivo;
  • se ele não existir, não existem bloqueios de rastreamento;
  • se ele existir, todas as pastas em frente a ele estão tendo seu rastreio bloqueado pelo Google.

Verificando comandos de bloqueio de indexação:

  • vá até a página inicial do seu site;
  • digite CTRL + U no seu teclado;
  • o código-fonte do seu site se abrirá. Agora digite CTRL+F para fazer uma busca de texto;
  • busque pelo termo “meta name=”robots” content=”noindex””;
  • se você encontrar o termo acima, a página inicial do seu site (e possivelmente outras) estão informando ao Google para não serem indexadas.

3. Seu site foi punido pelo Google

3. Seu site foi punido pelo Google

Sim, o próprio Google pode ter excluído você da busca por não cumprir com as Diretrizes de Qualidade que o buscador deixa claro para todos que têm um site.

Essa punição pode acontecer automaticamente, através do algoritmo do Google ou manualmente, quando algum colaborador do buscador identifica violações no seu site e tira seu canal do índice.

Em todo caso, punições normalmente possuem razões plausíveis e exigem bastante esforço para serem contornadas.

As razões mais comuns para punições do Google são:

  • aplicação voluntária de técnicas não permitidas pelo Google no seu site;
  • aplicação involuntária de técnicas não aceitas pelas Diretrizes de Qualidade;
  • distribuição de vírus ou malware pelo seu site;
  • excesso de links de sites prejudiciais apontando para o seu.

Para tentar sanar essa questão, o primeiro passo é criar uma conta no Google Search Console. Nele você conseguirá identificar as notificações do Google para o seu site e o que você precisa corrigir para tentar voltar a ser exibido.

Vale notar que algumas punições não são explícitas e o buscador não irá detalhar como corrigir no Google Search Console.

Na dúvida, evite qualquer prática que pareça duvidosa, faça um bom site e um bom conteúdo e estude a fundo as recomendações do Google para fugir de problemas.

Seu site é encontrável?

Seu site é encontrável?

Agora falemos do cenário que acredito ser o mais comum: seu site está sim indexado e você não tem nenhum problema grave junto aos buscadores.

O seu problema real é o que a maioria das empresas enfrenta: o seu site não é encontrável.

E quando dizemos “encontrável”, estamos falando do seu cliente e do contexto de busca dele.

Digamos, por exemplo, que você vende ração para cachorro e sua empresa chama Ração Master. O público que busca por “ração master” já está fidelizado. Quem você quer são as pessoas que buscam por “ração para cachorro”, certo?

E aqui acontece o problema. Como o seu site está indexado, ele aparece sim para a busca “ração master”, mas não é exibido quando se busca “ração para cachorro”.

Faça o teste com a sua empresa. Pense em uma palavra de busca para a qual você deveria aparecer e digite no Google. Você aparece?

E agora pense no número de perguntas que o seu produto pode ser a resposta. São várias, certo? E para alguma delas, quando você digita no Google, o seu site é a resposta?

A busca gera visitas?

A busca gera visitas?

Pode ser que o seu site até apareça. Muito bom!

Só que aí entra outro problema. As pessoas realmente buscam por esse termo? Ou é por outro? Ou por vários?

Na prática, quantas pessoas conseguem encontrar seu site fazendo uma busca no Google?

O “não aparecer no Google”, no fim das contas é esse. Estar indexado e ser rastreável não é suficiente.

Sua empresa precisa ser encontrável e ter visitas no site. Porque só dessa forma é que você irá conseguir ter vendas no ambiente digital.

Então, comece com a preocupação técnica sim. Estar indexado e ser rastreável. Mas não pare por aí. Agora direcione sua atenção para garantir que o seu canal tenha visitas e vendas. Coloque o SEO como pilar do seu marketing digital.

Comece a investir em SEO

Comece a investir em SEO

O investimento em SEO (Search Engine Optimization) é que irá garantir que o seu site apareça no Google de forma consistente, gerando acessos no seu site e convertendo essas pessoas em vendas.

Muito embora o ambiente digital ofereça diversas disciplinas para qualquer empresas, muitos estudos já mostraram que trabalhar com o SEO desde o início traz melhores leads e menor custo por aquisição.

Para aprofundar mais, vale dar uma olhada nesse artigo, onde exploramos os 3 pilares fundamentais do SEO:

  • otimização de site;
  • produção de conteúdo;
  • conquista de backlinks.

Ter um site, fazer um site pode parecer um investimento banal, acessível a qualquer empresa.

Só que estamos falando de uma loja online, disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano. Acessível a qualquer pessoa, de qualquer dispositivo e de qualquer lugar do mundo.

O problema é que as outras empresas também estão nesse ambiente. E, se você não começar agora, elas irão beber a água limpa na sua frente.

CTA Prejuízo de Não Estar no Google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *