Redação SEO: Guia rápido para melhorar seu texto

Redação SEO: Guia rápido para melhorar seu texto

A cada dia que passa, fica mais complicado terceirizar a produção de conteúdo de um projeto de SEO.

Isso quer dizer que é necessário contar com especialistas da sua área para escrever. 

E não só isso, precisa ser alguém da empresa. Que vive o negócio.

E claro, normalmente essas pessoas não são redatores web. Não trabalham com SEO.

Pensando nisso, nós criamos um guia simples para ajudar. Ele traz tópicos bem básicos e primários de redação SEO.

Como nossa premissa é ajudar o mercado e espalhar o conhecimento sobre posicionamento no Google, abaixo compartilhamos esse guia com você.

O que este guia vai abordar

É importante citar que a anatomia de um texto para web envolve outras variáveis – normalmente mais técnicas, que não exploramos aqui.

Estamos falando de itens tais como a URL, meta tag title, meta tag description, dentre outros.

Se você precisa se aprofundar nesses pontos (e em outros), sugiro dar uma olhada no nosso conteúdo sobre análise SEO.

Se o seu objetivo é focar só na redação em si, pode usar este guia aqui sem medo.

Trataremos dos seguintes tópicos:

  1. Itens de um texto para web
  2. H1 (Heading tag 1)
  3. H2, H3, H4 (demais heading tags)
  4. Texto
  5. Listas
  6. Imagens
  7. Vídeos
  8. Links internos
  9. Links externos
  10. Como incluir os itens no Documentos Google (Google Drive)

Avante!

1. Itens de um texto para web

Em suma, os elementos importantes de um texto para web são:

  • H1: título do conteúdo da página. Faz parte do texto.
  • H2, H2, H3, etc: subtítulos (ou intertítulos) do conteúdo. Fazem parte do texto.
  • texto: é o conteúdo em si. Nele estão inclusas listas, imagens, vídeos, links internos e links externos.

2. H1

O H1 (heading tag 1) é o título do conteúdo.

Ele resume do que se trata a página.

Em teoria, o H1 pode ser igual ou similar ao título da página. 

Mas você pode variar alguns elementos.

Mas nunca:

  • tire a palavra-chave do H1;
  • coloque mais de um H1 no conteúdo;
  • mude o assunto ou enfoque o título

3. H2, H3, H4, etc

Essas são as demais heading tags. Também podem ser chamadas de subtítulos ou intertítulos.

Elas funcionam em sistema de hierarquia:

  • H1
    • H2
      • H3
        • H4

Ou seja, preste atenção nos níveis.

Diferente do H1, você pode repetir à vontade H2, H3 e afins.

A grande importância das heading tags é criar pontos de referência para leitura dentro do texto.

O seu usuário irá usá-las para ler mais rapidamente o texto e buscar respostas para o que ele quer ler.

Lembra daquele bloco enorme de texto que dá preguiça de ler? Os intertítulos evitam isso.

Melhores práticas para H2, H3, H4, etc:

  • Lembre da hierarquia. Um abaixo do outro.
  • Repita à vontade. Mas seja relevante.
  • Use a palavra-chave de vez em quando (sem forçar).
  • Use sinônimos.
  • As heading tags são referências. Ajude o usuário.

4. Texto

O principal ponto de um texto para web é o contexto digital.

Ou seja, o usuário só está no seu site porque precisa de alguma resposta. Então você não deve ser prolixo demais, técnico demais nem vago demais.

Você deve focar no usuário. Responder o que ele quer.

Para tanto, mantenha a estrutura básica de um texto:

  • introdução: simples e curta. Explique do que o texto está falando. E mostre ao usuário o que ele vai aprender ao ler seu texto.
  • texto corrido: seja objetivo. Entregue o que o usuário quer.
  • conclusão: muitos usuários vão ler isso primeiro. Conclua com clareza para incentivar o usuário a ler o texto todo.
  • call to action: para onde o usuário vai agora? Ler outro texto? Baixar um guia? Falar com um consultor? Avalie qual o próximo passo que faz sentido para o usuário depois da leitura (e não o passo que você quer).

Melhores práticas para texto

  • Parágrafos curtos. Evite mais de 4 linhas. Sempre que o raciocínio terminar, coloque parágrafo.
  • Intercale os intertítulos. Ajude o usuário a “escanear” o seu texto.
  • Responda o usuário. Não enrole, não seja vago e não seja prolixo.
  • Boa introdução e boa conclusão.
  • Call to action. Coloque o próximo passo.

5. Listas

Todo mundo adora listas.

Elas sintetizam bem raciocínios e facilitam a escaneabilidade dos textos.

Sempre que for citar exemplos, sugestões e afins, não coloque tudo na mesma linha. Use listas.

E use de forma correta:

  • lista ordenada: vai colocar uma lista baseada em ordem (primeiro, segundo, etc)? Use essa.
  • lista não ordenada: itens da lista sem ordem em particular? Use essa.

Melhores práticas para listas

  • Evite listas intermináveis.
  • Selecione a lista correta: não ordenada ou ordenada.
  • os itens da lista devem ser curtos.

6. Imagens

Pesquisas já mostram que imagens aumentam o engajamento com o conteúdo.

Mas as imagens precisam ser relevantes. Não decorativas.

Estamos falando de:

  • gráficos;
  • exemplos visuais;
  • ilustrações.

Se a imagem não agrega nada ao conteúdo, ela só vai pesar a página.

E se você cita algo que pode ter uma imagem e não tem (como dados de uma pesquisa), você está perdendo a oportunidade de melhorar seu conteúdo.

Então abuse das imagens relevantes.

Melhores práticas para imagens

  • Evite imagens decorativas. Foque em imagens relevantes.
  • Citou um exemplo de empresa, pessoa, site ou coisa? Coloque uma imagem.
  • Citou um estudo, pesquisa ou similar? Coloque um gráfico.
  • Se a imagem não for sua, lembre-se de colocar onde você pegou (o endereço da página).
  • Se for uma imagem ilustrativa, peça ao designer para buscar em um banco de imagem.
  • Peça a ele também para formatar a imagem. Tamanho correto e evitar passar dos 500 kbs.
  • A imagem é de terceiro? Um gráfico, estudo, etc? Problema nenhum. Apenas cite a fonte (a não ser que o dono da imagem proíba o uso).

7. Vídeos

Vídeos são tão (ou mais) poderosos que as imagens para melhorar o engajamento.

E se você não tem vídeos, o Youtube está aí, cheio de vídeos gratuitos para você usar.

Basta seguir a mesma lógica das imagens. Usar vídeos que complementam o conteúdo. 

Não se preocupe em usar vídeos de terceiros.

Basta pesquisar e garantir que não são concorrentes seus e que o conteúdo é bom.

Melhores práticas para vídeos

  • Um vídeo pode trazer uma visão mais clara sobre o que você está falando? Procure no Youtube.
  • Coloque o endereço do vídeo no seu conteúdo. Depois confirme com o responsável pela publicação como garantir que seja incorporado no texto, para evitar que o usuário saia da página.
  • Trabalhe vídeos complementares. Não coloque se não fizer sentido para o seu público e usuário.

8. Links internos

Você provavelmente já usou a Wikipédia.

Quando você está lendo um artigo e ele faz referência a um assunto não detalhado no artigo, o que o texto faz?

Coloca um link para outro artigo.

Esses links são importantes por duas razões:

  • ajudar o seu usuário a aprofundar seu conteúdo;
  • ajudar o Google a fazer a conexão entre os seus conteúdos.

Então, sempre que o seu texto citar algo que não vai ser aprofundado, e você tiver outro texto que entre em detalhes, coloque um link.

Lembre-se de colocar o link ao longo do texto. Exemplo:

“….PageRank™ é um algoritmo utilizado pela ferramenta de busca Google para posicionar websites entre os resultados de suas buscas…”

Não se preocupe tanto com o texto âncora (o texto onde colocar no link). Tente usar o bom senso.

Melhores práticas para links internos

  • Foque no usuário. O link vai ajudar? Então coloque.
  • Não abuse. Links demais irão prejudicar a leitura.
  • Priorize textos estratégicos. Coloque links para eles.
  • Não force o texto âncora para ficar de acordo com a palavra-chave do texto linkado. Foque no usuário.
  • Não repita o mesmo link no mesmo conteúdo.

9. Links externos

O link externo funciona da mesma forma que o interno.

A diferença é que você não vai linkar para outro conteúdo seu.

Você vai linkar para o conteúdo de outra página.

E porquê fazer isso, se a outra página pode ser de um concorrente?

Por algumas razões:

  • você não tem conteúdo profundo sobre algum tema;
  • o conteúdo adicional (do link externo) vai ajudar o usuário;
  • você nunca vai ter esse conteúdo, porque não é o seu foco.

Se você não quer linkar para um concorrente, basta avaliar se o conteúdo é complementar, ou seja, se ele trata de um produto ou dor que você não tem interesse em abordar.

Melhores práticas para links externos

  • garanta que o conteúdo é bom;
  • garanta que o site é bom;
  • ao linkar para um site externo, você está recomendando ele. Então cuidado para não recomendar o site de uma empresa ou pessoa que não faça jus à sua reputação.

10. Como incluir os itens no Documentos Google (Google Drive)

Nós recomendamos que você use o Documentos Google para redigir seu texto.

Vantagens do documentos Google

  • é de graça. Basta ter uma conta no Google.
  • o texto fica na nuvem. Acessível de qualquer lugar e com backup garantido.
  • é possível compartilhar edições.
  • é possível comentar edições.

Editando o seu documento

No Documentos Google, o ideal é você já deixar o seu texto formatado, para facilitar a publicação posterior no seu site.

Elementos que você deve formatar:

  • H1, H2, H2, H3, H4
  • texto
  • listas
  • imagens
  • citações
  • links internos e links externos

H1, H2, H3, H4 no Documentos Google

Primeiro, insira seu texto normalmente e selecione com mouse.

Editar heading tag - Documentos Google

Agora, na barra superior, onde se lê “texto normal”, clique na seta para baixo. Você verá as opções:

  • título 1 (H1)
  • título 2 (H2)
  • título 3 (H3)
Opções heading tag - Documentos Google

Selecione a opção desejada e o texto já ficará formatado:

Título editado- Documentos Google

Texto no Documentos Google

Certifique-se que o seu texto corrido está com a marcação “texto normal” na barra de ferramentas.

Texto normal - Documentos Google

Listas no documentos Google

Você pode formatar listas de duas formas:

Manualmente:

  • quebre parágrafo
  • digite o “hífen” (-)
  • digite espaço
  • comece a escrever
  • continue dando enter para a lista continuar a ser formatada.
  • se quiser encerrar a lista, quebre parágrafo duas vezes (dois enter)
  • se quiser uma lista ordenada, ao invés de hífen, use números.

Via barra de ferramentas:

  • coloque os itens da lista um abaixo no outro no texto e selecione todos:
Editar lista - Documentos Google
  • vá na barra de ferramentas e escolha lista ordenada ou não ordenada:
Opções lista - Documentos Google
  • habilite a lista desejada:
Lista editada - Documentos Google

Imagens no documentos Google

Para inserir imagens, basta ir na guia inserir > imagem > upload do computador:

Inserir imagem - Documentos Google

Links internos e externos no Documentos Google

Ao incluir, não há diferença entre um link externo e um interno.

Você pode incluir links de duas formas:

  • usando o botão direito: selecione o texto desejado, clique com o botão direito e escolha “link”:
Inserir link - Documentos Google
  • ou usando a barra de ferramentas:
Inserir link barra de ferramentas - Documentos Google

Você pode, claro, usar a tecla de atalho “CTRL+K”.

Redação feita! E agora?

Redação feita! E agora?

Como você deve ter percebido, abordamos somente a produção do texto. No caso, dentro do Documentos Google.

Ainda falta publicar o texto, e cuidar de outras variáveis tais como a meta tag title, description, url, dentre outros.

No cenário que descrevemos aqui, quem redigiu o texto não seria responsável pela sua publicação. Somente pela redação.

Então sim, agora será necessário contar com um analista SEO, ou alguém com noções técnicas para colocar o seu conteúdo no ar de forma que ele seja encontrável pelo Google.

Se essa pessoa não existe, cabe a você estudar um pouco mais sobre SEO, e aprender como fazer isso.

Alguns materiais que sugerimos:

O segredo da redação SEO

O segredo da redação SEO

O foco deste guia foi ser mais prático. Dar orientações mais mão na massa.

Isso, claro, parte do princípio que noções básicas de comunicação já fazem parte do seu dia a dia.

Por que, acredite ou não, o que vai prejudicar o potencial do seu texto não são as questões técnicas, mas a correta abordagem pré-redação.

Estamos falando de:

  • entendimento do seu público;
  • proposta de valor clara;
  • análise da concorrência.

É só isso? Não. Mas você se surpreenderia como as empresas ignoram tópicos tão simples.

Falemos um pouco de cada um.

Entendimento do seu público

Você está escrevendo um texto. Uma resposta. Oferecendo soluções e idéias.

Mas:

  • para quem?
  • por quê?
  • quais as dores dessa pessoa?
  • o que ela digita no Google?
  • que resposta ela espera encontrar?

Se você não sabe nada disso, a sua redação SEO está toda ancorada na sua cabeça.

No que você acha, não no que o seu público quer.

Faça esse exercício simples. Pergunte à sua equipe de atendimento, ao seu comercial. Busque entender as dores e motivações da sua clientela.

Tendo isso em mãos, fica fácil saber o que escrever.

Proposta de valor clara

Eu vou te perguntar: por qual razão alguém compra de você e não do concorrente?

Se você responder:

  • “sou mais barato”;
  • “sou mais rápido;”
  • “tenho mais tempo de mercado”;
  • etc, etc.

Eu diria que o seu concorrente pode falar as mesmas coisas. Talvez de forma diferente. Mas a “proposta de valor” em si seria praticamente igual.

A entrega de valor é o que faz sua empresa existir. Se não houvesse nada de diferente no seu serviço, seu cliente faria negócio com um concorrente.

E mais do que isso, a proposta de valor é o seu DNA. O seu diferencial. A sua característica única. 

Preço, prazo e expertise são copiáveis e se perdem com o tempo.

Mas a sua proposta de valor não.

Então use isso para diferenciar seu conteúdo. Para redigir seu texto.

Não sabe qual o seu diferencial? Pergunte ao seu cliente.

Pergunte: “porque você fez negócio comigo?”.

Análise da concorrência

Por “concorrência”, estamos falando de outros textos que competem com você por posições no Google.

Se você está escrevendo para web, provavelmente já mapeou suas palavras-chave.

Só que aí você já sai escrevendo sem saber se a sua resposta vai ser a melhor.

E mais importante:

  • que tipo de resposta o Google valoriza.

E isso é crucial para ranquear.

Como descobrir isso? Joga sua palavra-chave no Google. Simples né?

É isso que estamos falando de análise da concorrência.

Antes de começar a sua redação SEO, olhe quem já ranqueia para a sua palavra-chave.

E pergunte-se:

  • vou conseguir fazer um texto melhor?
  • como minha redação pode ser diferente?
  • como colocar minha proposta de valor no meu texto?

Fazendo isso, suas chances de ranqueamento são maiores.

Próximo passo: otimização de conteúdo

Agora que seu texto ficou bom e está publicado, é necessário otimizá-lo.

Afinal, você não estava pensando em colocar o texto no site e deixá-lo lá na esperança remota dele entrar na primeira página, estava?

A não ser que você dê muita sorte, isso não vai acontecer a não ser que exista uma rotina de medição e melhoria constante do seu conteúdo.

Para não deixar isso acontecer, acompanhe o nosso texto abaixo:

E como sempre, deixe suas dúvidas abaixo nos comentários!

CTA Prejuízo de Não Estar no Google
Postado em SEO

Um comentário para “1”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sem compromissos para você.
Enviaremos um email em até 2 horas úteis.

Faça uma busca