SEO: Como começar? (O que você precisa saber)

SEO: Como começar? (O que você precisa saber)

Todo mundo com um pouco de familiaridade com marketing digital já ouviu falar de SEO (Search Engine Optimization).

Em tempos de inbound marketing, porém, essa disciplina hoje é mais uma dentre várias outras, e por vezes é deixada de lado devido à necessidade de esforço envolvida e a demora para atingir bons resultados.

Mas é justamente por isso que o SEO precisa ter mais evidência junto aos profissionais de marketing.

Quando falamos de visibilidade no Google, você já sabe que existem dois caminhos básicos:

E você também já deve saber que a busca orgânica recebe entre 80% e 90% dos cliques nos resultados do Google.

Ou seja, a questão aqui não é a importância do SEO, – disso já sabemos – o ponto é, como sair da estaca zero e começar a abordar esse contexto?

Vamos descobrir!

O que é SEO

O que é SEO

Embora você provavelmente já tenha uma clareza sobre o assunto, aqui vale sermos um pouco prolixos, para evitar confusões.

O SEO envolve estratégicas e táticas para garantir que as páginas do seu site apareçam em melhores posições na busca do Google.

E qual o resultado disso? Tráfego orgânico. Visitas no seu site.

Do ponto de vista tático, o que é preciso ser feito para isso acontecer? É necessário considerar os 3 pilares da estratégia SEO:

  • otimização do site (melhorar o código, velocidade e funcionamento no celular);
  • gestão de conteúdo (produzir e otimizar os conteúdos do site);
  • conquista de backlinks (adquirir links externos apontando para seu canal, os “votos de confiança” de outros sites).

Respectivamente os itens acima representam os seguintes aspectos que o seu negócio, e consequemente o seu site devem apresentar:

  • experiência (site bom, organizado e rápido);
  • autoridade (conteúdo que responde de forma única e clara o que o usuário procurou);
  • reputação (outros sites linkando para o seu, atestando que você sabe do que está falando).

Não parece complicado, certo? E não é. Só que o risco aqui é esquecermos do ponto de vista estratégico.

Afinal, o que citamos acima se refere ao âmbito tático. O que executar. E não porque executar.

Então é necessário dar um passo atrás e entender a lógica do Google.

Afinal, o esforço de SEO envolver conquistar posições nesse buscador.

Entendendo o Google

Do ponto de vista técnico, o funcionamento do Google é relativamente simples.

Se inglês não é problema para você, convido a assistir a explicação do Matt Cutts, que foi um dos engenheiros mais famosos do Google:

Basicamente, o que ele fala nesse vídeo é o seguinte:

  • o Google possui um rastreador, que vasculha todas as páginas da internet;
  • a partir desse rastreio, o buscador cria um diretório que funciona como um índice de tudo que existe online;
  • a “busca” que você faz no Google não é na internet, mas sim no índice do próprio Google;
  • o algoritmo do buscador classifica as páginas considerando diversos fatores, e entrega a melhor resposta para a pessoa que está pesquisando.

É possível ser mais técnico que isso? Claro. Mas não é necessário.

O que você realmente precisa saber sobre como o gigante das buscas funciona é o seguinte:

O Google existe para ajudar o usuário.

Nada mais do que isso. Pode acreditar.

E pode ficar tranquilo que nenhuma das coisas abaixo é verdade:

  • se a empresa paga para o Google ela aparece melhor na busca orgânica;
  • grandes anunciantes possuem atendimento preferencial da equipe do Google;
  • o que define quem aparece primeiro é o tamanho da empresa e sua capacidade financeiro.

Todas as alternativas acima são mitos.

O que você precisa se perguntar é o seguinte:

  • meu site oferece uma boa experiência?
  • meu conteúdo consegue responder às perguntas do meu público?
  • minhas páginas são boas o suficiente para alguém as indicar?

Esses pontos são relevantes para o seu usuário. E, consequentemente, para o Google.

Sendo assim, o primeiro passo para começar um bom trabalho de SEO é focar no seu público. Nas suas dores, objetivos e em como a sua empresa pode ajudar.

Porque investir em SEO

Porque investir em SEO

Voltemos às analogias simples.

Considere uma loja física como o análogo do seu site.

Lembremos aqui que, o objetivo do seu site é gerar resultado. Principalmente de vendas. Mas pode ser também de valor de marca.

Agora, pense comigo. Como uma loja gera vendas?

Ela precisa de gente entrando na loja. Circulando. Olhando os produtos. Conversando com os vendedores.

Do ponto de vista matemático, quanto mais gente no seu estabelecimento, maior o potencial de gerar negócios, certo?

A lógica do seu site é a mesma. Se ninguém entra nele, como é que sua empresa vai ter vendas?

E aqui, se as suas páginas não estão sendo medidas, ou seja, se você não tem a menor idéia de quantas visitas você está recebendo por mês, puxão de orelha.

Vá logo no Google Analytics e siga os passos para configurar. Sem medir o resultado, de que vale ter um site?

Claro, você pode pensar o seguinte: “posso gerar visitas de outra forma”. Pode mesmo, e existem algumas mais comuns:

  • links patrocinados (anúncios no Google e/ou rede sociais);
  • email-marketing;
  • conteúdo em redes sociais;
  • divulgação offline;
  • assessoria de imprensa;
  • dentre outros.

Agora considere esses acima, e pense quais delas possuem os seguintes aspectos:

  • as pessoas vão nesse canal e procuram por soluções;
  • o canal está disponível na palma da mão, no celular;
  • o canal tem uma reputação altíssima e todos confiam nele;
  • o canal filtra os resultados para ajudar o usuário;
  • o canal prioriza conteúdos relevantes e não anúncios;
  • as pessoas usam o canal o tempo todo, em todo lugar.

Se você entendeu o “canal” como sendo o Google, é isso mesmo. Mais especificamente, a busca orgânica.

E como melhorar sua visibilidade na busca orgânica? Fazendo SEO.

E, se ainda não ficou claro porque você precisa investir em SEO, reiteramos:

  • sem visitas, seu site não vende;
  • sem o seu site não for bom, não tiver conteúdo e não tiver backlinks, ele não aparece no Google;
  • se você está aparecendo na primeira página, é o Google que está indicando. O Google. Quem não quer ter esse voto de confiança?
  • 80 a 90% dos cliques de uma determinada pesquisa. Quem não quer isso? Eu quero.
  • não vai fazer? Pois alguém vai fazer e vai aparecer melhor que você. Possivelmente o seu concorrente.

Fatores de ranqueamento do Google

Fatores de ranqueamento do Google

Depois disso tudo que falamos, você provavelmente está se perguntando:

“Se é tão bom assim investir em SEO, porque poucas empresas priorizam isso?”

A resposta eu acredito que você já saiba: não é fácil e não é rápido.

A questão é que existem muitos supostos “atalhos” para as empresas fazerem divulgação online, e não raro os decisores optam por esses caminhos mais “fáceis” para gerar retorno.

Um exemplo simples são os próprios anúncios no Google. Os links patrocinados. Você paga e começa a aparecer no primeiro dia.

Mas só se você pagar. E lembremos, esses anúncios só impactam de 10% a 20% do público.

Porque? Porque o usuário confia no Google e não no anunciante. Por isso ele ignora os anúncios.

E o buscador sabe disso. Então ele não vai deixar ninguém burlar os resultados de pesquisa. Afinal, ele tem uma reputação a zelar.

No fim das contas, ninguém pode falar com certeza como o Google classifica os resultados. Estamos falando da fórmula secreta do gigante das buscas.

E se você perguntar as responsáveis de lá, aos engenheiros, todos irão falar a mesma coisa: “produza conteúdo relevante que você aparece no Google.”

Diante disso, é possível sim especular possíveis fatores de ranqueamento.

No entanto, após implementar cada um deles, é sempre necessário monitorar os resultados para avaliar se a ação executada realmente fez diferença.

Alguns fatores que são consenso entre os especialidades:

  • velocidade do site (teste a sua aqui);
  • taxa de cliques na página de busca;
  • tempo na página;
  • funcionamento no celular (teste aqui);
  • conteúdo de qualidade;
  • quantidade e qualidade de backlinks.

Existem outros? Claro. Mas eu apostaria que mais de 90% das empresas ainda não olharam esses acima.

Então comece por eles e você sairá na frente de muita gente.

Princípios de uma estratégia de SEO

Já abordamos brevemente aqui os pilares essenciais de um bom trabalho de SEO:

  • otimização de site;
  • gestão de conteúdo;
  • conquista de backlinks.

Um projeto focado em conquistar posições no Google precisa contar com todas essas três para obter o sucesso desejado.

Falemos rapidamente de cada uma das frentes táticas:

Otimização de site

Como já dito, o objetivo da otimização é melhorar o site constantemente, para entregar a melhor experiência para o usuário.

E, voltando à nossa analogia, não adequar o site todo mês é o mesmo que deixar a sua loja suja, com a pintura velha e vitrine pichada.

A loja vai ficar feia e as pessoas não vão entrar. E com o seu site não vai ser diferente.

Comece usando essa ferramenta do Google. O Semrush também é uma boa opção.

Nelas você conseguirá fazer uma análise dos suas páginas e observar detalhes como:

  • tempo de resposta do servidor;
  • velocidade de carregamento do site;
  • adequação ao celular;
  • erros no código;
  • páginas com links quebrados;
  • páginas inexistentes;
  • páginas bloqueadas;
  • dentre outros.

Com as considerações em mãos, comece a ajustar o seu site, e volte às ferramentas todo mês para novas melhorias.

Gestão de conteúdo

O conteúdo é o que responde ao o que o usuário perguntou ao Google.

Agora, pense em termo de busca estratégico para você. E avalie:

  • o seu site tem uma resposta para essa pergunta?
  • a resposta é boa o suficiente? Ou é curta e superficial?
  • só você tem essa resposta? Ou o usuário acha ela em qualquer site?
  • a sua resposta conecta com uma solução para ajudar o usuário?
  • a resposta é fácil de achar dentro do seu site?

Com massificação do marketing de conteúdo, não é raro muitas empresas terem muitos textos, mas que são rasos, superficiais e por vezes até fora do foco.

Como resolver isso? Não tem muito segredo:

  • entenda o seu público. Dores, objetivos, como sua empresa vai ajudar;
  • determine a intenção de busca. Que resposta ele quer? Um texto, vídeo, imagem, planilha?
  • liste os termos de busca que ele procura.
  • produza conteúdo robusto, diferenciado e único.

Agora, evite cair no erro comum da maioria das empresas que já produzem conteúdo.

Esse erro é não mensurar e não otimizar.

Cada conteúdo que você publica é uma oportunidade de conquistar ranking e tráfego.

Mas como isso vai acontecer se você não acompanha se a página ranqueou, em qual página e se as pessoas estão clicando e lendo?

Use o Google Search Console e o Semrush. Cadastre as palavras foco de cada conteúdo e veja em que posição eles estão.

Se eles não estiverem na primeira página, reveja os textos. Aumente, incremente, altere. Mas otimize, sempre.

Conquista de backlinks

O trabalho de gestão de aquisição de links externos é mais artesanal e trabalhoso se comparado aos outros pilares, mas ele não deixa de ser igualmente importante.

Afinal, como já falamos, o indicador de reputação é extremamente relevante para o Google.

No entanto, é importante deixar claro que essa prática precisa ser feita com cautela, para não violar as diretrizes de qualidade do Google.

Lembremos que a premissa do buscador para os links externos é que eles devem ser “naturais”. Ou seja, você deve conquistá-los e não adquirí-los.

Na prática, você não deve ser arriscar em estratégias como:

  • comprar links em um site (pagar para alguém colocar um link para você);
  • trocar links com outros sites;
  • criar sites ou canais falsos para criar links.

O que deve ser feito é semelhante a uma rotina de assessoria de imprensa;

  • mapeie canais que são estratégicos e relevantes para você (sites, blogs, fóruns, portais);
  • comece um relacionamento com esses canais;
  • veja como fazer para ter conteúdos e matérias publicadas nesses canais;
  • ofereça valor: conteúdos que os canais precisam, materiais que eles podem usar.
  • mantenha o relacionamento para contar com os links ativos.

Em suma, não deixe de fazer. Só não escorregue para as práticas arriscadas.

Bônus: Mensuração e controle

Pode parecer óbvio, mas muitas empresas começa a investir em SEO mas não medem o retorno.

E aqui é necessário considerar tantos números macro:

  • tráfego orgânico;
  • conversões orgânicas.

Quanto também números micro:

  • ranking;
  • páginas que recebem tráfego;
  • termos que geram tráfego;
  • tempo na página;
  • taxa de cliques;
  • velocidade;
  • dentre outros.

Se você medir, conseguirá melhorar. Do contrário, nunca saberá se está funcionando ou não.

Sente com os decisores e defina prioridades. Alinhe os indicadores e as expectativas.

Esse alinhamento é crucial para o projeto se manter vivo.

Como ter sucesso com SEO

O que faz um projeto focado em busca orgânica performar? Gerar visitas e vendas?

Um bom site? Claro. Conteúdo de qualidade? Com certeza. Equipe com muito know-how? Sem dúvida.

Mas existe um aspecto que é mais importante que todos esses.

E sem ele, de nada adianta ter a melhor equipe, ser maior empresa e ter muito dinheiro. Vai dar errado.

Esse aspecto é a consistência.

SEO é um trabalho de formiguinha. Um tijolo por dia. Para subir um prédio em 12 meses.

Ansioso por resultados? Vai dar errado.

Quer subir o prédio em uma semana? Sem chance.

Sente com os seus decisores e explicite:

  • estamos focando no longo prazo;
  • estamos investindo em nós mesmos. Nosso site, conteúdo e reputação;
  • precisamos convencer o Google e o usuários que temos autoridade;
  • isso leva tempo. Exige maturação e dedicação.

Consistência a quatro mãos. Entre os decisores e a equipe que executará o SEO.

Aprender um instrumento, dominar um idioma, melhorar sua forma física. Dá para fazer uma semana? Um mês? Não né?

Com SEO não é diferente. E é por isso que poucos têm sucesso.

Você vai querer ser um dos poucos a chegar lá? Ou prefere respeitar o status quo? A escolha é sua.

Comece a usar o SEO na sua estratégia

O que achou das nossas dicas para começar sua atuação em SEO?

Comenta aí embaixo para ajudarmos você com mais dúvidas!

CTA Prejuízo de Não Estar no Google
Postado em SEO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba uma cotação sem compromisso.
Respondemos em até 2 horas úteis.

Faça uma busca