Como aparecer na primeira página do Google? Evite estes 6 erros!

Se você deseja descobrir como aparecer em primeiro do Google, uma excelente maneira de alcançar esse resultado é conhecer as estratégias e técnicas de SEO (Search Engine Optimization) — a otimização de sites para mecanismos de busca. Porém, como essa área tem muitas sutilezas, é fundamental saber como evitar certos erros, que podem prejudicar o seu posicionamento.

Por isso, selecionamos os principais equívocos com os quais é preciso ter atenção para não comprometer o ranking do seu site nos resultados de busca. Confira!

1. Não pensar em SEO na hora de criar o site

Durante o desenvolvimento de um site cuja finalidade é construir a presença online de uma empresa, não se pode negar a importância de mecanismos de busca como o Google para a geração de tráfego. Para se ter uma ideia, confira estas estatísticas que mostram o quanto essa fonte é indispensável para os negócios:

  • as duas atividades que os usuários mais realizam online são pesquisar em sites de busca e checar e-mails;
  • as buscas orgânicas são a fonte que mais gera tráfego para sites que produzem conteúdo (falaremos mais sobre conteúdo adiante);
  • 93% de todo o tráfego da internet é proveniente dos mecanismos de busca.

Tudo isso mostra como o SEO é uma estratégia poderosa para todas as organizações que desejam aumentar a sua visibilidade no meio digital. Sendo assim, podemos afirmar que não pensar nesse tipo de tática desde o início da concepção do site não é apenas um erro, mas um verdadeiro desperdício.

2. Ter um layout pesado

Um design com excesso de elementos gráficos pode afetar o tempo de carregamento das páginas, deixando-as muito lentas e desconfortáveis para navegar. Já que isso impacta diretamente na experiência do usuário, o Google pode interpretar que você não tem se preocupado o suficiente em oferecer um site agradável e interessante para os visitantes.

Logo, o ideal é garantir que o site tenha um layout leve e intuitivo, que se integre naturalmente com as funcionalidades e que seja compatível com dispositivos móveis. E não se esqueça de monitorar a velocidade de carregamento — quanto mais demorada ela for, maiores serão as chances de os usuários abandonarem suas páginas.

3. Não investir em conteúdo de qualidade

O conteúdo é um dos principais fatores que o Google utiliza para definir o posicionamento das páginas nos resultados de busca. Isso quer dizer que, sem oferecer materiais de qualidade no seu site, você dificilmente conseguirá atingir um bom ranqueamento.

Então, não deixe de produzir conteúdos relevantes para o seu público, de modo a fazer a diferença e ser útil de verdade para ele. A melhor maneira de fazer isso é por meio de um blog, com posts completos e informativos, aliado a perfis nas redes sociais para divulgá-lo aos seus clientes e admiradores da marca.

Aqui, vale destacar a importância de o conteúdo ser de qualidade. Tenha em mente que escrever textos superficiais — também conhecidos como thin content — apenas para manter o blog atualizado não vai trazer resultados significativos. Não há nenhum problema em serem curtos, desde que tenham algo a acrescentar.

Inclusive, tenha o cuidado de publicar apenas conteúdo original. Não permita a cópia de materiais de terceiros, afinal, o Google rejeita plágio e pode penalizar aqueles que tiverem essa atitude. Dependendo do caso, essa punição vai afetar negativamente o posicionamento do site ou bani-lo de aparecer nos resultados das buscas.

Tenha cautela também com páginas distintas do seu site que tenham o mesmo conteúdo. Essa é outra má prática sujeita a penalizações, já que o Google pode enxergar isso como uma tentativa de manipular o buscador a posicionar diversas web pages para as mesmas palavras-chave.

4. Copiar conteúdo de outros sites

No desespero por contar com grande volume de páginas em seu site, algumas pessoas acabam optando por copiar conteúdo de outras páginas. Afinal, há a ideia de que mais material oferece mais oportunidades para emplacar posições de vantagem entre os resultados de buscas.

Não faça isso em hipótese alguma, já que as suas páginas podem ser severamente penalizadas pelo Google. O algoritmo do buscador tem mecanismos de alta performance para detectar plágio.

Também é importante tomar cuidado para que o seu conteúdo não seja acidentalmente sinalizado como plágio. Use uma ferramenta como o Plagium. Nela, basta inserir o seu texto para que o sistema tente encontrar trechos semelhantes em outros sites da web.

5. Não planejar bem as palavras-chave

A escolha das palavras-chave que farão parte do seu conteúdo também é um componente essencial para um bom posicionamento no Google. Escolher termos que têm bastante demanda nas buscas ou expressões similares a essas palavras pode ser uma tática eficaz para que o mecanismo de busca perceba o quão relevante a sua página é sobre determinado assunto — e eventualmente a coloque no topo dos resultados.

Por isso, é importante utilizar ferramentas de pesquisa de palavras-chave como o Planejador de palavras-chave do próprio Google, a Keyword Tool e a Ubersuggest.

Lembrando que o uso excessivo de palavras-chave com o intuito de tentar forçar o buscador a posicionar bem a página para aqueles termos é totalmente reprovável. As diretrizes do Google condenam essa prática chamada keyword stuffing, o que quer dizer que isso pode interferir no seu desempenho de SEO.

6. Não incluir links internos

Os links internos são aqueles que apontam para as próprias páginas do seu site. Eles são importantes porque sempre que um usuário chegar a um dos seus conteúdos por meio de uma busca no Google, ele terá estímulos para continuar navegando e consumir mais informações relacionadas.

Esse tipo de comportamento sinaliza para o buscador que o visitante está engajado com o site, já que o tempo de permanência demonstra que o material que ele encontrou ali é relevante e atendeu — ou superou — as expectativas em relação ao que estava procurando.

7. Conseguir links externos de baixa qualidade

Os links de sites externos que apontam para o seu website são um fator extremamente importante para melhorar a sua posição nos resultados de busca. Porém, se a maior parte deles vier de páginas de reputação duvidosa, a sua performance nos rankings do Google também estará ameaçada.

Por esse motivo, invista em uma estratégia de link building mais consistente, que inclua ações como procurar parcerias para criar conteúdos para outros blogs que sejam de fato referência na sua área de atuação.

Portanto, o mais recomendável para um trabalho completo de SEO é contar com o auxílio de um profissional ou agência especializada. Infelizmente, existem pessoas com conhecimentos iniciais de marketing digital que acreditam saber como conseguir posições no Google, mas que podem cometer equívocos capazes de colocar a sua presença online em risco.

8. Ter um código-fonte pouco otimizado

Você sabia que o código-fonte do seu site pode prejudicar os seus planos de aparecer em primeiro no Google? Se ele não estiver devidamente otimizado, pode acabar rebaixando a posição da sua página.

Antes de pensar em uma solução, é importante entender bem o que significa um código não otimizado. Trata-se de um excesso de tags, scripts, técnicas ultrapassadas e outros mecanismos que deixam as suas páginas mais “pesadas”, impactando negativamente a experiência do visitante.

Nenhum usuário gosta de sites lentos, e o Google sabe disso. Portanto, certifique-se de contar com um código-fonte mais limpo, ágil e otimizado, para não sofrer com penalidades do buscador.

9. Não adaptar o site para dispositivos mobile

É um engano achar que aparecer em primeiro no Google é só uma questão de otimizar o conteúdo e o código-fonte do seu site. Você também precisa colocar a experiência do usuário como prioridade, afinal, o algoritmo do buscador é capaz de perceber a qualidade desse quesito. Um exemplo disso envolve garantir que suas páginas abram corretamente em dispositivos móveis.

Aparelhos como celulares e tablets já são maioria no acesso à internet, portanto, um layout responsivo precisa deixar de ser visto como algo opcional e se tornar um item obrigatório. Se o seu conteúdo somente funciona corretamente em computadores tradicionais, você está abrindo mão de boa parte de sua potencial audiência.

Não se limite a ter uma versão mobile mais simples. Evite restringir o acesso às funções convencionais do seu site, já que isso não ajuda a melhorar a experiência do usuário. Em vez disso, certifique-se de que tudo é acessível independentemente do dispositivo usado.

10. Não configurar tags importantes

O algoritmo de buscas se baseia no conteúdo de algumas tags especiais que devem estar presentes nas suas páginas. Para ter boas posições na busca orgânica, é necessário se certificar de que esses pedaços de código estejam devidamente configurados.

As meta tags são responsáveis por controlar o que aparece na página de resultados do Google: o título da página e a descrição. Use a sua palavra-chave nesses espaços e tome cuidado para respeitar o limite de caracteres (70 para a primeira, 160 para a segunda).

Não se esqueça da tag alt, que precisa estar presente em suas imagens. Elas devem descrever o conteúdo adequadamente e, de preferência, incluir sua palavra-chave. Trata-se de uma ótima forma de emplacar espaço no Google Imagens.

11. Utilizar táticas Black Hat

Resista à tentação de seguir pelo caminho do “jeitinho”. Táticas Black Hat são meios de burlar o algoritmo do Google para conquistar posições melhores entre os resultados de pesquisas. No entanto, não se engane: as penalidades que vêm em consequência disso não valem a pena.

A cada dia, o Google torna o seu algoritmo mais sofisticado e capaz de detectar abusos. Sites que fazem uso de técnicas voltadas a enganar o sistema são penalizados e dificilmente conseguem recuperar a posição que tinham antes.

Você não precisa desses recursos para se destacar no Google. Basta implementar uma estratégia robusta de SEO que os resultados virão de forma orgânica e completamente dentro das regras do buscador.

Agora que você já sabe dos principais erros que podem atrapalhar a sua missão de aparecer em primeiro no Google, está na hora de colocar os seus planos no papel. Faça uma análise cuidadosa da sua atuação em SEO e procure por quaisquer gargalos que possam comprometer os seus resultados. Fique de olho nas atualizações do algoritmo do Google, já que sempre podem surgir mudanças que precisam ser consideradas na sua estratégia.

Agora é a sua vez: o que você costuma fazer em seu site para otimizá-lo em relação ao Google? Vamos trocar experiências nos comentários!

CTA Prejuízo de Não Estar no Google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *