Persona e público-alvo: qual a diferença no marketing?

A eficácia de uma estratégia de marketing depende da capacidade que você tem de definir para quem vender seus produtos e serviços. Quando a concorrência era pequena e existiam poucos produtos e serviços semelhantes, bastava definir um público-alvo e lançar suas campanhas em veículos de comunicação massiva, como rádio e televisão.

Entretanto, com o crescimento do número de empresas no mercado e o aumento da exigência dos consumidores por soluções exclusivas, não dá para pensar em grandes públicos: é preciso pensar em persona.

Mas qual a diferença entre esses dois conceitos? Acompanhe o post de hoje e descubra!

Público-alvo: para quem vender?

Quando falamos em público-alvo, falamos de uma grande quantidade de pessoas, uma parcela da sociedade para a qual seus produtos e serviços podem ser úteis. Na definição do público-alvo da sua empresa, você deve considerar as características demográficas e socioeconômicas dessa parcela da população, bem como seus comportamentos e hábitos de consumo.

Para entender melhor, imagine que você vende calçados masculinos. Seu público-alvo seria composto de homens, entre 18 e 50 anos, moradores do Rio de Janeiro, com faixa salarial entre 1 e 5 salários-mínimos, que compram sapatos ao menos uma vez por ano.

A definição de público-alvo serve para que você identifique um nicho de mercado e desenvolva produtos e serviços adequados para esse nicho, a fim de aumentar as vendas. Ela representa a preparação que você precisa para ingressar em determinado mercado.

Persona: quem é seu cliente ideal?

Dentro do público-alvo, existem diversos perfis de clientes. Continuando com nosso exemplo anterior, podemos pensar que existem homens que gostam de sapatos modernos e despojados, enquanto outros preferem sapatos tradicionais. Existem aqueles que vão até a loja para comprar e aqueles que preferem comprar pela internet, por exemplo.

Neste sentido, a persona é o retrato do seu cliente ideal, é um arquétipo que reúne todas as características do melhor cliente que a sua loja de sapatos poderia ter. Definir as personas do seu negócio requer um trabalho mais detalhado de pesquisa para que você entenda não só os dados demográficos e socioeconômicos, mas também as características subjetivas dos seus clientes — como as dificuldades que enfrenta no dia a dia, seus sonhos e desejos, como se relaciona com a família, amigos e colegas de trabalho etc.

Essas informações te ajudam a construir estratégias de marketing mais efetivas, pois você aumenta a precisão de cada ação, indo direto ao ponto. Se o seu cliente não pode ir até sua loja física, por exemplo, você pode ofertar um serviço de entrega como estratégia de marketing e, com isso, conquistar uma parcela significativa do mercado.

A abordagem de marketing torna-se personalizada, o que certamente conquista a atenção e fidelização dos clientes. Além disso, o atendimento passa a ser mais humanizado, ou seja, você deixa de tratar o cliente por “cliente” e passa a tratá-lo como “Marcos”, “José”, “Ronaldo”, criando conexões emocionais, que são bem mais fortes e duradouras do que uma simples transação comercial.

Aplicando a persona na prática

Como você deve ter percebido, o conceito de público-alvo é mais abrangente, sendo que o de persona é mais específico. Ou seja, a persona é que irá guiar os esforços mais direcionados de marketing da sua empresa, visando atrair e converter os clientes certos.

Um dos pilares da sua estratégia de marketing digital que irá depender diretamente de uma boa definição de persona é a produção de conteúdo. E conteúdo envolve não só o desenvolvimento de artigos para responder perguntas dos seus potenciais clientes, mas também textos e materiais relacionados a promoções, ofertas e detalhes sobre o seu produto.

Ou seja, o seu conteúdo irá variar de acordo com a jornada de compra do seu potencial cliente. Se ele está mais no início da jornada, ele irá buscar textos, vídeos e imagens sobre o problema, sobre a dor. Por outro lado, em um momento mais fundo de funil, mais para o final da jornada, o interesse serão informações sobre o produto e sobre as condições de compra.

Toda essa produção de conteúdo depende de uma boa definição de persona. Se você definir de forma incorreta, o que vai acontecer é que sua empresa irá atrair a pessoa errada e, ou não irá conseguir vender, ou irá gerar uma venda ruim, que no fim das contas trará prejuízo à empresa.

O potencial de uma boa persona

Em termos de marketing, uma boa persona é a pedra fundamental da sua estratégia. Toda ação a ser desenvolvida, seja links patrocinados, email-marketing, sites, automação, SEO, terá seu potencial ampliado ou reduzido de acordo com a qualidade que você definiu a persona.

Isso é ainda mais crítico quando se considera a abordagem em SEO, que depende de uma boa produção de conteúdo e principalmente da relevância desse conteúdo no longo prazo.

Como o SEO é efetivamente garantir que o seu site tenha boas respostas para as dúvidas do seu cliente, e com isso fazer com que o Google oferece o seu site como fonte destas respostas, se a sua persona for mal definida, todo o seu potencial de capturar visitas através dos buscadores é desperdiçado, e essa autoridade acaba indo para o seu concorrente.

Diante disso, para toda empresa que espera atingir resultados em marketing digital, é crucial entender a diferença entre público-alvo e persona e principalmente definir esses dois aspectos dentro do contexto do seu negócio.

E então, ficou clara qual é a diferença entre público-alvo e persona? Você acrescentaria algum dado ou informação para melhor definir cada um destes conceitos? Deixe seu comentário!

Um comentário em “1”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *