SEO: o que é e como funciona

SEO: o que é e como funciona

Atualmente existem diversos canais de atração e aquisição de clientes para as empresas explorarem.

A difusão do acesso à internet permitiu que a distância física não se tornasse um problema no momento de uma compra.

Porém, com tantas opções corporativas, para obter melhores resultados é preciso otimizar as estratégias.

Pensando nisso, é fundamental para qualquer gestor ou empreendedor saber o que é SEO.

Essa sigla representa um trabalho que pode alavancar os resultados de qualquer tipo de empresa, seja ela de pequeno, médio ou grande porte, não importa o segmento explorado.

Se você ainda não conhece esse conceito ou acha que não está explorando totalmente os recursos na sua empresa, certamente os resultados podem ser incrivelmente potencializados se as ações desse trabalho forem colocadas em prática.

Por isso, criamos este guia completo. Mostraremos tudo sobre o assunto e, entre os temas, abordaremos os seguintes tópicos:

E então, está preparado para todo esse conhecimento? Boa leitura!

O que é SEO?

Responda rapidamente: quando você precisa buscar alguma informação, seja sobre um produto, empresa ou uma dúvida do cotidiano, como e onde você procura essa resposta?

Muito provavelmente você pensou no Google, certo?

O Google é uma ferramenta mundial, utilizada para diversas finalidades.

Sempre que temos alguma dúvida e queremos saber mais sobre um assunto usamos o buscador para encontrar informações.

Quando um usuário faz uma pesquisa, o objetivo do buscador é apresentar as páginas mais relevantes, ou seja, aquelas que apresentam o maior potencial para que essa pessoa encontre aquilo que procura. Por isso, para apresentar as opções e criar um ranqueamento, existe o SEO.

A sigla SEO representa Search Engine Optimization, ou Otimização para Mecanismo de Busca.

Na prática, o trabalho de SEO consiste em um conjunto de técnicas para tornar os sites mais relevantes para os mecanismos de busca, fazendo com que eles apareçam na primeira página do Google.

Como funciona?

Depois de saber o que é SEO, precisamos entender como esse trabalho funciona.

No dia a dia de um diretor de marketing, por exemplo, o profissional sempre pensa em novas ações para atrair potenciais consumidores e oferecer uma melhor experiência com a marca. O SEO não é muito diferente disso.

Aplicando as técnicas de otimização, o site ganha mais confiabilidade e usabilidade.

É fato que o objetivo da otimização é alcançar as primeiras posições na busca, mas isso também reflete em uma melhoria substancial das páginas.

Quando uma pessoa faz uma pesquisa na ferramenta, o Google utiliza o termo digitado para buscar as informações na rede, analisando aquilo que mais tem a ver com a procura e que pode ser útil ao usuário.

Porém, se o seu site não estiver organizado, a ferramenta não conseguirá enxergá-lo, fazendo com que busque novas referências.

Um simples exemplo é o endereço eletrônico, a URL.

Antigamente, no momento da construção das páginas, os profissionais não se preocupavam muito com esse código.

A URL era formada por uma sequência numérica nada explicativa, sendo impossível reconhecer o conteúdo apenas pelo código.

Agora, no entanto, isso mudou.

O Google recolhe o termo digitado pelo usuário no campo de busca e, um dos locais que ele procura uma relação é na URL. Se a página não contém o termo digitado no endereço eletrônico, já perde ponto.

Por isso, os sites atuais são todos criados com URLs amigáveis.

Normalmente, com termos curtos e bem explicativos, contendo palavras-chave importantes e que são constantemente usadas pelo público. Além de ser uma apresentação para o conteúdo presente na página.

A URL é só um exemplo de vários fatores que são analisados no trabalho de otimização. Falaremos sobre outras técnicas mais à frente.

Quais são os tipos de busca de um usuário?

Existem três tipos de buscas dos usuários. Mostraremos cada uma delas a seguir, acompanhe!

Busca navegacional

A busca navegacional acontece quando a pessoa já sabe qual é o site em que deseja visitar, mas não sabe ao certo o endereço eletrônico. Então, ele usa o campo de pesquisa com algum termo relacionado à empresa, como o nome ou produto principal.

Como esse usuário já conhece a empresa, ou, pelo menos, tem uma ideia, uma vez que está buscando-a, normalmente ele está em um estágio mais avançado no funil de vendas e já teve contato com algum material da marca.

Busca informacional

Na busca informacional, o usuário está atrás de informações.

Geralmente se trata de uma pessoa ainda no topo do funil, que está buscando conhecer mais sobre algo. Nesse caso, a procura não é direcionada para a empresa, mas pode ser um produto ou alguma curiosidade sobre o item.

Busca transacional

Já na busca transacional, o usuário está em busca de uma opção para comprar ou contratar.

Por exemplo, ele pode usar o campo de pesquisa digitando o seguinte termo: “contratar uma agência de marketing digital”. Ou seja, ele já tirou as dúvidas para essa contratação e agora busca a melhor opção no mercado.

A busca transacional é muito interessante porque, normalmente, o lead está no último estágio do funil de venda, já pronto para a aquisição de um produto ou serviço.

Como é formada a página de respostas do Google?

Quando um usuário faz uma pesquisa no Google, a página de resposta contém diversas opções.

Os espaços são planejados e é preciso entender o posicionamento de cada página para buscar melhores resultados. Por isso, agora vamos mostrar como é formada a página de respostas. Acompanhe:

Anúncios

As primeiras opções na página de resposta do Google são links patrocinados, criados dentro da plataforma do Google Adwords para a rede de pesquisa.

As páginas apresentam a tag de “Anúncio” e a cada clique o anunciante paga um determinado valor.

Estar nessas posições é uma estratégia muito interessante e que é usada constantemente pelas empresas, uma vez que é rápido alcançar essa posição, basta criar o anúncio e colocar o maior lance por clique pela palavra-chave, mantendo, claro, a página relevante para o assunto da busca.

Google Shopping

Outra forma de aparecer no Google é pelo Shopping.

Principalmente quando você digita algum termo associado a um produto, aparece uma lista de opções que encaminham o usuário diretamente para a loja virtual do anunciante.

Assim como na rede de pesquisa, a empresa que utiliza esse recurso paga um determinado valor pelo clique. O próprio anunciante que determina esse investimento e ele entra em uma espécie de leilão.

Geralmente, os anúncios do Google Shopping aparecem em uma faixa superior aos resultados dos anúncios ou de forma lateral.

Google My Business

Uma nova forma de aparecer na busca é por meio da ferramenta chamada Google My Business.

Ela é focada nas empresas, em que um representante faz o cadastro na plataforma, preenchendo dados cadastrais, localização, horário de funcionamento, entre outros. Assim, o Google mostra opções para que o usuário encontre aquilo que procura.

É muito importante cadastrar a sua organização nessa ferramenta. Com ela, usuários que estão próximos à sua região podem encontrar sua marca como opção, além de identificarem rotas inteligentes para chegarem até ela.

Busca orgânica

Por fim, chegamos no foco deste conteúdo: a orgânica. Esse tipo de busca não é pago, ou seja, quando um usuário clica no link da página, a empresa que detém o destino não será cobrada por isso.

No entanto, não pense que é simples alcançar essas posições.

Além de entender o que é SEO, precisamos colocar as técnicas em prática. Os resultados não aparecem de imediato, eles são vistos a médio e longo prazo. Porém, os ganhos são duradouros.

Mesmo depois de alcançar os primeiros lugares na busca orgânica, a empresa não pode se desleixar.

É necessário manter um trabalho de atualização e ficar sempre de olho nos novos requisitos do Google, uma vez que novidades são lançadas constantemente e novos fatores são considerados para o ranqueamento.

Qual a importância da busca orgânica?

Quando você tem alguma dúvida sobre alguma coisa, onde você pesquisa? Se a sua resposta for Google, você faz parte das mais de 100 bilhões de buscas que são feitas na plataforma a cada mês.

Essas pesquisas variam entre conhecimento geral, hobbies, entretenimento, educação e até questões de saúde. Porém, a busca por produtos e serviços é cada vez maior.

Pesquisas mostram que cerca de 34% dos consumidores vão direto ao portal do Google para pesquisar sobre produtos que estejam interessados. Por esse motivo, fazer com que seu site figure entre os primeiros colocados na pesquisa é essencial para que o conteúdo seja consumido.

Como já dito ao longo deste texto, os primeiros links a aparecer em pesquisas de buscadores são os anúncios.

O fato, porém, é que as pessoas confiam muito mais em links orgânicos, pois sabem que ele está ali por algum motivo além do dinheiro desembolsado para propaganda.

Como funciona o ranqueamento do Google?

Entendida a importância de ter links orgânicos bem ranqueados, é hora de entender como esse processo funciona.

Essa é uma questão pequena com uma resposta um tanto extensa. O ranqueamento no Google é definido por um algoritmo chamado PageRank (PR).

Seu funcionamento é baseado na relevância de uma página perante a totalidade da internet.

Se inglês não é um problema para você, vale dar uma olhada no vídeo abaixo, onde o antigo engenheiro do Google Matt Cutts explica como a busca funciona.

O vídeo é antigo, mas o básico funcionamento do Google não mudou de lá pra cá:

Traduzindo o que é dito no vídeo, como a relevância das páginas é calculada?

Sabemos que são levados em consideração mais de 200 fatores diferentes, que envolvem o conteúdo, a reputação e muitas outras características da página.

Vamos conferir alguns dos elementos mais importantes desse ranqueamento.

Autoridade

A autoridade de um domínio é definida por uma escala, que classifica cada página da internet com uma nota entre zero e dez.

Domínios recém-lançados começam com zero na pontuação, enquanto domínios já fortes e consolidados, como é o caso do próprio Google, recebem nota máxima.

Sites com grande autoridade de domínio (DA) costumam figurar entre as primeiras posições dos resultados de busca. Mas afinal, o que faz com que uma página conquiste tal autoridade?

De acordo com esse estudo da Moz, praticamente 21% do PageRank depende da quantidade e qualidade dos links que levam à determinada página.

Uma estratégia bastante utilizada para adquirir esses links é o link building, tema que vamos abordar mais à frente. Outros elementos que levam ao ganho de autoridade são:

  • qualidade e ranqueamento das fontes dos links (19,5%);
  • relevância e qualidade do conteúdo (14.94%);
  • uso correto de palavras-chave (12.19%);
  • escaneabilidade, autenticidade e velocidade de carregamento (9.8%);
  • menções feitas à marca por canais de mídia on ou offline (8.59%);
  • quantidade e diversidade de tráfego na página (8.06%);
  • métricas de mídias sociais (7.24%).

Conteúdo

O Google e demais buscadores da internet dão grande valor à experiência do usuário.

Por esse motivo, você pode até trabalhar bem a sua autoridade e pontuar bem na escala do Google, mas ainda assim, não ranquear bem nos resultados de pesquisas. Isso pode acontecer por diversos motivos, um dos principais costuma ser o conteúdo da sua página.

Vale lembrar aqui que o Google não ranqueia websites, mas sim cada uma de suas páginas.

Por isso, você precisa ter uma página focada no termo de busca que você quer ranquear ou o algoritmo vai considerar sua página irrelevante. Adicione evidências, gráficos, imagens, estudos e trabalhe para criar um conteúdo de referência.

Outro fator que pode prejudicar a sua autoridade é o uso incorreto de palavras-chave. Elas são os termos e expressões procuradas pelos internautas nas ferramentas de busca. Introduzi-las de forma estratégica no seu conteúdo, é essencial para que o Google identifique sua página como uma referência naquele termo.

Qual é a importância do SEO para a empresa?

Como já dissemos ao longo deste conteúdo, qualquer empresa deve se preocupar em otimizar o seu site, principalmente se o tipo de negócio é um e-commerce, ou seja, com estratégias para a venda online.

A utilização correta de técnicas de SEO permite que qualquer site tenha a chance de melhorar seu desempenho.

Mostraremos, a seguir, alguns pontos que comprovam essa grande importância do SEO para as organizações.

Credibilidade

O primeiro fator de importância dos resultados de SEO para uma empresa é a credibilidade que os resultados do trabalho conseguem transmitir.

Entender o que é SEO e ocupar as primeiras posições na busca orgânica gera uma alta confiança do público nas soluções apresentadas pela empresa.

As primeiras posições ocupadas pelas companhias normalmente destacam marcas bem organizadas, sérias e que oferecem uma boa experiência aos seus consumidores.

A credibilidade é importante para atrair novos clientes e fidelizar aqueles que já conhecem a marca, além de ajudar a empresa a resolver problemas comuns no dia a dia.

Visibilidade

O segundo ponto de importância no trabalho de SEO é a visibilidade na busca orgânica.

Uma vez que o Google é o principal canal utilizado para pesquisa, estar em destaque nos resultados permite atrair um grande tráfego até o site.

A internet ajudou as organizações no aumento do público-alvo e alcance.

Se antes as empresas eram limitadas ao público de sua região, agora isso não é mais verdade.

É totalmente possível e fácil realizar compras em sites de qualquer lugar no mundo, com a mesma ou até maior facilidade do que comprar em um estabelecimento físico ao lado de sua casa.

A visibilidade conquistada quando se ocupa uma boa posição na busca orgânica pode representar uma elevação importante nos resultados financeiros da organização.

Quanto maior o tráfego, mais chances de converter os visitantes em clientes e, com isso, maior será a lucratividade.

Posição de referência no mercado

Por fim, podemos destacar ainda a conquista de uma posição de referência no mercado.

A internet certamente abriu as barreiras físicas entre a demanda e ofertas, mas isso também acirrou a concorrência. Empresas de qualquer lugar passaram a disputar a preferência do público e, por isso, é necessário estar sempre atento ao que seus concorrentes estão fazendo.

Depois que você e sua equipe entendem o que é SEO e passam a aplicar as técnicas de otimização no dia a dia, os resultados podem fazer com que sua empresa se destaque no mercado, atraindo novos consumidores e ainda enaltecendo os diferenciais.

Quais são os impactos do SEO nos resultados do site da empresa?

No próximo tópico, vamos falar sobre as técnicas de SEO que devem ser aplicadas nos sites, mas antes disso, veremos sobre os impactos nos resultados que essas ações são capazes de fazer. Acompanhe:

Maior tráfego gerado no site

Uma das principais mudanças reconhecidas quando as técnicas de SEO são aplicadas no seu site é a elevação de tráfego.

Para se ter uma ideia, uma pesquisa divulgada pela Smart Insights fez um levantamento da concentração de cliques na busca orgânica, comparando as posições na página de respostas.

Segundo os resultados, o primeiro lugar no posicionamento do Google recebeu cerca de 33% dos cliques. Enquanto isso, o segundo lugar concentrou, aproximadamente, 15% e o lugar seguinte, o terceiro, ficou com entre 8% e 9% dos cliques dos visitantes.

Isso mostra que se a sua empresa não está entre as três primeiras posições da busca orgânica, uma grande parcela de oportunidades está sendo desperdiçada e indo diretamente para seus concorrentes.

Por isso, se você ainda não sabe o que é SEO e não aplica as técnicas de otimização, pare de perder tempo e comece agora mesmo!

Melhor usabilidade aos visitantes

No entanto, para entender os motivos de as técnicas de otimização causarem tantos resultados, precisamos pensar no objetivo do Google.

O intuito do buscador é sempre apresentar as páginas mais relevantes para os usuários, que respondam suas dúvidas e solicitações, oferecendo uma boa experiência.

Então, mesmo que a sua página consiga tirar esses questionamentos, ela precisa oferecer uma boa usabilidade.

Essa boa usabilidade consiste em vários aspectos, tais como: facilidade no encontro das informações importantes; localização da empresa; meios de contato; horário de funcionamento etc. Além disso, o acesso intuitivo ao site, livre de erros, é fundamental.

Outro ponto crucial da usabilidade é a velocidade de carregamento das páginas.

Nenhum usuário ficará esperando por um longo tempo até que a página seja totalmente carregada. Se esse período for longo, ele simplesmente vai abrir uma outra janela, provavelmente de um concorrente, e fechará a sua.

Não podemos nos esquecer do acesso mobile, por dispositivos móveis.

Seu site deve ser preparado para se adaptar a qualquer tamanho de tela, sem perder qualidade de visualização ou facilidade de uso.

Esses pontos, se bem planejados e executados no momento de criar o site, ajudam a oferecer uma maior usabilidade aos visitantes e isso é considerado pelo Google, e demais buscadores, no momento de criar o ranqueamento da busca orgânica.

Maior taxa de conversão

De nada adianta atrair um grande número de pessoas até o seu site se essas oportunidades não são convertidas em vendas, não é mesmo? Então, é preciso tomar estratégias de conversão.

Uma vez que para estar em posições de referência na busca orgânica é preciso oferecer um bom conteúdo e usabilidade, a taxa de conversão tende a aumentar expressivamente com essas práticas.

Lembre-se, converter um leitor em cliente não é o último passo da sua estratégia de comunicação. É preciso manter contato com a pessoa para criar uma relação de fidelidade e valorizar a imagem da marca.

Melhor experiência aos clientes

Por fim, outra consequência de uma melhor usabilidade no site é a boa experiência que os clientes terão com a empresa. Sites que sejam pouco intuitivos ou responsivos formarão uma imagem negativa na cabeça do visitante.

Colocando as informações necessárias e de forma prática, todas as dúvidas serão tiradas e os visitantes terão uma maior confiança em adquirir os produtos ou serviços da empresa. Isso aumenta a satisfação e ajuda também na retenção dessas oportunidades, com novas e frequentes compras.

Como otimizar o SEO do site da empresa?

Agora que você já vislumbrou os ótimos resultados que o SEO pode trazer para o seu negócio, focaremos nas ações, em como otimizar o SEO do seu site.

Construa a estrutura de link building

O link building é um dos fatores mais considerados pelo mecanismo de busca do Google no momento do ranqueamento. Essa técnica consiste em criar uma linha de referência dentro do seu site.

Por exemplo, se a sua página fala sobre o assunto de marketing digital e dentro dela há uma parte sobre as redes sociais como uma das ferramentas, é interessante criar um link dessas redes para um conteúdo específico sobre elas.

Se você tiver esse novo conteúdo já criado dentro do próprio site, excelente, você mantém o visitante dentro do domínio e oferece mais conhecimento a ele, melhorando a experiência.

Porém, se esse material não estiver no seu site, pode encaminhar também para um ambiente externo.

Alguns profissionais acham que isso não é benéfico, uma vez que está levando o usuário para fora de seu site, mas há pontos positivos nisso. Você investe na experiência do usuário e a torna mais completa.

Em contrapartida, outros sites também podem fazer esse encaminhamento para o seu, quando ele se tornar uma referência.

Você também pode fazer links para produtos da sua loja, página de contato ou o que for mais interessante para o visitante no momento.

Crie URLs amigáveis

Outra prática de SEO é otimizar a criação da URL. O endereço eletrônico não deve ser aleatório, como uma sequência numérica pouco lógica. É interessante que ela seja curta e objetiva, de preferência contendo a palavra-chave trabalhada na página.

Um bom exercício para criar a URL, é verificar se pelo código é possível ter uma ideia do conteúdo da página. Se isso for possível e com a palavra-chave, a URL é amigável. Senão, é preciso reformulá-la.

Sites recém-criados apresentam URLs complexas, que misturam letras e números de forma desconexa. Alterar isso para algo dentro do contexto do seu website é um dos primeiros passos para a otimização.

Otimize as imagens

Os mecanismos de busca não conseguem enxergar uma imagem em meio ao texto. Para eles, não passa de um espaço em branco. Então, para evitar isso e tornar detectável a imagem, você precisa preencher o campo de alt text, ou texto alternativo.

Consiste em um código que deve descrever aquela imagem. O mecanismo de busca fará essa leitura, fazendo uma ligação com o conteúdo da página. Uma dica é utilizar esse campo preenchendo-o com a palavra-chave definida para a página.

Lembre-se, ainda, de priorizar imagens de autoria própria e que não pesem demais na abertura do site.

O Google vem trabalhando bastante na originalidade das imagens, dando uma alta pontuação para aqueles que adicionam novas imagens às páginas e não simplesmente copiam e colam de outros lugares já presentes na internet.

Crie um site responsivo

O site responsivo é aquele que consegue se adaptar ao tamanho da tela do dispositivo que é utilizado pelo usuário, seja um computador desktop, notebook, tablet ou celular, por exemplo.

Isso é muito importante, uma vez que os dispositivos móveis estão sendo cada vez mais utilizados no dia a dia, inclusive, para realizar compras na rede.

Com as novas atualizações do Google — que discutiremos ainda nesse texto —, a responsividade dos sites se tornou um dos pontos mais analisados para criar o ranqueamento. Então, fique sempre atento a isso!

Forme um ambiente de boa usabilidade

Como já falamos, é fundamental planejar uma boa usabilidade dos usuários dentro do seu ambiente digital.

Todas as informações devem ser facilmente encontradas e a navegação deve ser intuitiva. Qualquer pessoa deve conseguir fazer operações nas suas páginas, sem que isso exija muito conhecimento ou prática no ambiente virtual.

Para encontrar as melhores práticas você pode fazer testes, alterando o design das páginas, botões e textos.

Chamamos isso de testes A/B, em que o fluxo de visitantes é dividido entre duas páginas similares, contendo uma única variação por vez. Então, é analisado a taxa de conversão de ambas para determinar a que performa melhor.

Utilize de forma estratégica as palavras-chave

A palavra-chave é uma das bases de todo o trabalho de SEO.

O primeiro passo para identificar esses termos é realizar uma boa pesquisa, encontrando quais são as palavras mais utilizadas pelo público e que são interessantes para a empresa. Depois que elas forem identificadas, a criação da página deve ser feita levando-a em consideração.

É interessante que a palavra-chave apareça na introdução e conclusão da página, além da URL e no espaço de alt text das imagens. Além disso, garanta que ela esteja no desenvolvimento do conteúdo ou descrição dos produtos, além do título e intertítulos.

Priorize alta velocidade de carregamento do site

A velocidade de carregamento do site é importante de ser avaliada sempre. O cálculo dessa velocidade leva em consideração uma série de fatores, sendo a velocidade da conexão um dos mais importantes.

Uma boa ferramenta para acompanhar isso é o Google PageSpeed. Ela mostra o perfil de carregamento das suas páginas, faz uma avaliação quantitativa de 0 a 100 do site e ainda indica pontos passíveis de melhoria.

Tenha atenção na hora de carregar imagens e, principalmente, vídeos. Se esses arquivos forem pesados demais, pode atrapalhar a navegação e comprometer o posicionamento na busca orgânica.

Invista no marketing de conteúdo

Uma das estratégias mais interessantes do marketing digital é o marketing de conteúdo. A marca investe na produção de conteúdoque ajuda o público-alvo a tirar dúvidas e conhecer mais sobre o assunto tratado pela marca.

Ao criar esses conteúdos e disponibilizá-los em um blog, de forma organizada, a empresa ganha em credibilidade e consegue atrair mais clientes.

Além disso, todo o setor de atendimento ganha com nutrição, uma vez que os potenciais clientes terão mais materiais para tirar dúvidas e solicitar o contato com um representante quando estiverem prontos para a compra.

Os conteúdos também ajudam bastante no posicionamento na busca orgânica. As palavras-chaves podem ser bem trabalhadas nos materiais, atraindo pessoas que estão no topo, meio ou fundo do funil de vendas.

Você também pode usar esses conteúdos em uma estratégia de nutrição de leads, enviando os materiais mais relevantes para os leads, no momento certo para impulsionar as vendas.

Estruture seus conteúdos

Se você seguir a dica anterior, de investir no marketing de conteúdo, lembre-se de estruturar muito bem essas informações.

Os conteúdos devem ser escaneáveis, ou seja, estruturados de forma com que a leitura seja facilitada.

Isso incluir dividir o texto em intertítulos, não criar parágrafos extensos demais, desenvolver uma boa introdução, desenvolvimento e conclusão, além de inserir uma CTA, ou Call-To-Action, que é a chamada para ação.

Ela pode indicar que o lead entre em contato, acesse um novo material, compartilhe nas redes sociais, entre outros.

Como planejar e executar estratégias de SEO?

Entendidos as principais técnicas de otimização que podem ser incorporadas com o uso de SEO, é hora de pôr a mão na massa e executar essas estratégias.

É claro que conhecer o conceito não significa que você está preparado para aplicá-los em seu empreendimento. Isso porque cada situação exige uma abordagem diferente.

É crucial que as estratégias de SEO sejam minuciosamente planejadas para atender as demandas do seu público-alvo e refletir as necessidades e objetivos da sua empresa. Por isso, é importante saber com quem está falando, qual canal deve ser utilizado e, claro, sempre manter um olho na concorrência.

Determine sua persona

Quando proposto por Jerome McCarthy em 1960, a ideia dos 4 P’s do marketing (product, promotion, place, price) foi rapidamente aceita e introduzida nos planejamentos das empresas. Naquela época, a diversidade de produtos ainda era baixa, e bastava trabalhar bem nesses quatro conceitos para garantir o sucesso.

Com a evolução do mercado e o aumento do poder de escolha do consumidor, outros conceitos foram adicionados: physical evidence, process e people. Esse último é o que nos interessa nesse assunto.

A ideia de que é preciso levar as peculiaridades do público na montagem da estratégia é um dos pilares do marketing desde então.

Hoje, utilizamos o conceito de persona: a definição fictícia do seu consumidor ideal. A persona é baseada em dados reais sobre as características de seus clientes, como idade, sexo, escolaridade, opinião política e situação civil etc.

Além disso, são adicionadas histórias de vida, nomes, objetivos e preocupações. Tudo isso para tornar a persona mais real.

Ao criar uma persona, você tem uma representação clara do consumidor perfeito para a sua empresa. Dessa maneira, você tem maior facilidade em criar estratégias de comunicação e vendas voltadas especificamente para esse público, aumentando o alcance, a satisfação e a taxa de conversão.

Escolha as ferramentas corretas

O crescimento do mercado de marketing digital propiciou uma proliferação de ferramentas que se dizem essenciais.

É importante conhecer a fundo essas ferramentas e trabalhar com as que melhor atendam suas necessidades.

Para otimizar o SEO da empresa, ferramentas de busca de palavras-chave são essenciais, assim como medidores de resultados e monitoradores de concorrência.

Entre as ferramentas de busca de palavra-chave, o Keyword Planner é um dos mais reconhecidos.

Por ser mantido pelo Google, o sistema garante a entrega de informações de qualidade sobre os termos e expressões mais buscados na internet. Além disso, a ferramenta utiliza seu histórico para gerar sugestões de palavras-chave que estão em alta.

Como sabemos, as palavras-chaves são usadas para qualificar seu conteúdo e atrair o público que você deseja.

Mas como descobrir se a atual estratégia está funcionando?

É importante mensurar os resultados de suas ações para saber se está no caminho certo ou se mudanças são necessárias. Para isso, recomenda-se o uso de um programa como o Google Analytics

Esse programa, também mantido pelo Google, tem como objetivo monitorar o tráfego de um site, e-commerce ou aplicativo.

Dentro da plataforma, você tem acesso a uma grande diversidade de dados e indicadores que ajudam a avaliar a efetividade de sua estratégia.

Acompanhe de perto a concorrência

Tão importante quanto analisar e mensurar os resultados da sua empresa, é saber como a concorrência está performando. Com isso, você pode aproveitar oportunidades deixadas pelos competidores, aprender com seus erros e até adaptar suas estratégias para competir no mesmo mercado.

Ferramentas como o SEMRush são muito úteis nesse caso. O SEMRush permite que você descubra vários aspectos das estratégias de SEO dos seus concorrentes. Basta digitar a URL desejada na caixa de buscas do portal e você receberá um pacote de informações muito relevantes, como:

  • principais palavras-chave orgânicas;
  • ranqueamento dessas palavras-chave;
  • principais concorrentes;
  • tráfego de busca por marca;
  • backlinks;
  • palavras-chave pagas.

Sabendo esses detalhes, você ganha um entendimento maior sobre o que está dando certo e errado no planejamento do seu concorrente. E mais importante: você pode presumir o motivo. Assim, você ganha referências importantes para reavaliar e otimizar seu próprio plano de marketing SEO.

O que muda com o novo algoritmo do Google?

Como boa parte das técnicas de SEO giram em torno dos critérios do Google, entender qualquer tipo de mudança é fundamental. Pensando em melhorar a experiência dos usuários, o site está sempre atualizando seu algoritmo para oferecer às pessoas os melhores resultados.

Lembra quando falamos sobre a importância de seu website ser mobile-friendly? Com a nova atualização da empresa, isso se torna ainda mais importante. Além disso, sites especializados em determinados assuntos sofreram mudanças mais específicas. Confira a seguir o que o novo algoritmo traz de novidade.

Desempenho de sites YMYL

Primeiramente, vamos entender o que são sites YMYL — sigla para “Your Money or Your Life (Seu dinheiro ou sua vida). Esses portais são definidos pelo Google como tendo potencial influência na futura segurança, saúde, estabilidade financeira ou felicidade dos seus usuários. Exemplos são sites que realizam transações financeiras ou fornecem informações de saúde.

Por lidarem com questões sensíveis, o Google recomenda que esses sites sejam feitos apenas por pessoas com conhecimento e estrutura comprovados para isso.

O princípio é que nem sempre os usuários são capazes de determinar se uma informação é relevante, portanto, agora a avaliação de qualidade passa também pela autoridade da empresa e por quem produziu o conteúdo.

A credibilidade é outro conceito que está sendo cobrado com mais afinco de sites YMYL.

Se a empresa ou o autor do conteúdo tiverem uma reputação negativa, ranquear bem se torna uma tarefa muito mais difícil. As credenciais do autor também importam mais. Um texto com dicas de saúde feito por um médico terá muito mais relevância do que se feito por um estudante.

Maior importância ao desempenho mobile

Você sabia que as pesquisas feitas por aparelhos mobile já superam aquelas realizadas em desktops?

No Brasil, mais de 50% do tráfego nos sites de buscas é originado por aparelhos móveis. Apenas isso já seria motivo suficiente para que uma empresa preocupada com a experiência de seus clientes invista em tornar seu site mobile-friendly.

Se faltava motivação, agora não falta mais. Com a nova atualização do Google, a otimização da navegação por dispositivos móveis será fator crucial na determinação do ranqueamento de um website.

Por causa disso, dispositivos como o AMP — Accelerated Mobile Pages — são bastante utilizados para acelerar o funcionamento das páginas mobile.

Vale lembrar que investir em um site responsivo para dispositivos móveis não serve apenas para ser bem visto pelo novo algoritmo. Clientes costumam trocar informações sobre suas experiências de navegação e uma opinião negativa pode ser determinante para afastar potenciais consumidores.

O bom conteúdo segue fundamental

Mudança após a outra, o Google altera a maneira como os gestores de marketing digital planejam suas estratégias para aumentar a visibilidade da marca. Um fator, porém, nunca foi mudado: a importância da qualidade do conteúdo.

Quando falamos que o Google vai “punir” sites com baixa velocidade de carregamento, não podemos nos deixar levar por uma conclusão simplista. O conteúdo de qualidade segue sendo o fator principal para tornar o site relevante.

Páginas altamente tecnológicas e com a maior velocidade possível ainda podem ficar atrás de páginas pequenas que produzem um conteúdo melhor.

Isso beneficia principalmente as pequenas e médias empresas, que têm maior facilidade em realizar mudanças em seus sites, que costumam ser de menor porte.

Além disso, faz com que o tamanho do investimento não seja mais importante que a qualidade do conteúdo, proporcionando uma competição mais justa e saudável.

Qual é a importância em contar com uma agência especializada em SEO?

Ao longo deste conteúdo, você entendeu bem o que é SEO, como planejar e executar uma estratégia nesse sentido e a importância desse trabalho para a sua empresa. Entendeu também, como funciona a busca orgânica do Google e o que mudou com seu novo algoritmo.

A otimização é capaz de fazer com que seus resultados sejam alavancados! Para isso, é preciso ter conhecimento sobre as técnicas, além de sempre acompanhar as atualizações.

O Google está em constante mudança, sempre adicionando novos fatores e técnicas no intuito de gerar uma melhor experiência ao público. Por isso, para ter um bom trabalho de SEO é recomendado contar com a ajuda de uma agência de marketing digital.

Ao longo desse texto falamos muito sobre o que é SEO e buscas orgânicas.

Mas será que vale a pena investir em anúncios pagos no Google?

Continue lendo e descubra se anunciar no Google ajuda o SEO!

CTA Prejuízo de Não Estar no Google
Postado em SEO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sem compromissos para você.
Enviaremos um email em até 2 horas úteis.

Faça uma busca